15 abril 2010

Inscreva-se

Inscreva-se na alma e no corpo de alguém...perca-se sem fios de seda ou caminhos de pães... desista de guardar só para você o que é naturalmente de outro - esqueça! Não há outro jeito sadio.
O que digo talvez não faça sentido, mas atiça todos os cinco, seis, sete e quantos mais tivermos. O que digo é camaleônico, como este que trago na pele -  que ao invés de mudar de cor, mudar de humor, amor, dor, flor, e todas as rimas pobres que a vida dá de graça e que nós olhamos sem graça, torcemos o nariz, mas torcemos para que alguém nos mande uma, umazinha que seja, numa madrugada fria - deixe as ricas para o dia, no auge da lucidez (qual?), dos lírios, rosas e gérberas, quando muito, ou nada, paras os arranjos de orquídeas com chocolates finos.
Seja de manhã, ou quando acordamos ao meio-dia (exaustos); seja de tarde, quando se transa o crepúsculo; seja a noite, a dona dos nossos corpos, há somente um deus a nos guiar: Eu-Você.
Cansei. Ofegante estou. Um orgasmo de palavras me invadiu, penetrou minha alma, inscreveu-se. 
 

Um comentário:

Bracho disse...

"desista de guardar só para você o que é naturalmente de outro"

PQP...que frase mais linda!! Esta, definitivamente, é ao mesmo tempo poesia e alívio.

* tome seu haldol de cada dia, que amanhã tem mais.rs.