25 fevereiro 2012

epifania

Lâmina
ilumina
a carne fina
a teia de vidas
uma constelação de estrelas famintas

Lâmina
na pele inclina
com o corte brinca
pára o fio que se precipita 
e um punhado grande de gente se fascina

Lâmina
na pele da menina
no rosto que afina
no bucho do rapina
na carne morta de quem termina

Lâmina
ilum(imã)
pra quem se diverte com o que finda
atraindo boa figura ou os vermes ao luar...
Lâmina que, por hoje, não irá me cortar.

Lâmina
luz tênue 
um único raio
esmeril.

20 fevereiro 2012

mais do mesmo (nuvens brancas)

Crie seu próprio movimento irregular
diga-me que não fiz minha parte
que calei no rebote
que o que vivemos foi questão de sorte
ou prejuízo da arte.


Voe pássaro encantado
fure as brumas que até hoje nos envolviam
seja o lí, desfaça o tí e não esqueça do ó...
Talvez as brumas sejam para apenas um 


Cante, grite luz, deseje-me paz
O som te jogará na dança
Eu permanecerei atento:
são tantos vôos, danças e coisitas...
que num olhar descuidado parecem demais.


Eu canto, danço e jogo de maneira pouco convencional
Eu amo desmedidamente
em espiral, em círculos, 
ou mesmo, num certo caos
Como é triste amor de passar mal...

02 fevereiro 2012

Dia dois de Fevereiro


mourn

- Onde está Pedro?

- Não entendi!

- Costumávamos nadar juntos.
Ele ainda era um molecote...

- Então ainda não sabes? 

- Não. Não está fora estudando?

- Sim, esteve por dois brevíssimos anos...
E voltou como um vento forte
repleto de emoções descontínuas.
Voltou como as presas de uma leoa
atacando para defender...
Lutou!

- Não, por favor, mulher...

- Dele, agora, tenho apenas nemórias 
estampadas em papéis...

- Ele era...

- Sabemos tudo o que ele era...
Tenho que descansar. 
Pode dormir no quarto dele!

- Que visita estranha é a morte...