28 fevereiro 2013

VODKA

Tem coisas que começam num, ou em tantos, mundo e terminam em outros.
Deve haver clareza no "Eu sei!"
Deve haver um novo mundo em português.

Que começa no zodíaco
Que começa no vaso escondido
Que começará onde triunfei
Que terminará onde tu não serás rei.

Em meu domínio há um gringo;
em tuas mãos "para o moinho"
Nas outras : "para a enganação!".

Tem coisas que começam
Em algum outro mundo e terminam por aqui....
Tantas vidas se espalham (entre  espadas e escudos)
Quando o verdadeiro amor se dispuser.
Quando o meu bem olhar no infinito, estarei no raio do luar.

19 fevereiro 2013

Ladainamente

Emudecionado. 
Mudo
De modas.
De licores,
Bem trabalhado.
Enriquecido.
Agraciado.
Paraliousado...
Experimentado em rodas.
Talhado.
Criativado...
Coisas e tantas outras.
Medo altivo,  ébrio, banido.
Fé parcimoniosa, instruída, exitosa.
Ah, emudecionado.

13 fevereiro 2013

Cativo

Quando deixar de cultivar escrúpulos
De ser submisso ao bom senso... 
Amiguinho da cortesia
Libertarei meus escravos dos termos de grupos

Quando matar o que for orto-mente correto
Tirá-lo de minha fluidez
Que atua (sem subterfúgios) em minha mente
Retórica de shadow e prosódia de reto...

A ignorância reside sob a repetição
Faz seu ninho de gravetos
E limalhas de ferro enferrujado
Sob o sol de um novo dizer sem ambição

Tanto tempo sem pegar na pena
É meu castigo e aceito sem tanta ira...
Enquanto mantiver minha poesia cativa
Minha alma aparecerá sem escrita.

Cultivar . Cativar . Deixar cativo.