16 novembro 2011

Gaia

Toda vez que morre um Amor, 

nascem duas flores no coração de Gaia 

para aconchegar, em suas pétalas, 

os peitos solitários dos amantes! 



remotos controles



Calado está quem tudo fala

Cansado está quem nada faz;

No jogo do tudo ou nada

Já passei pelos remotos...

Não ande sempre nos trilhos

E saiba que os opostos se encontram

Quase sempre num cunhal.

08 novembro 2011

p.r.o.m.e.t.i.d.o.

Esperar o prometido
É o mesmo que esperar pelo choro do uísque 
Que fazer dança para chover
Ou comprar uma calça menor
E não dar chilique.

Esperar o prometidos
Muitas vezes é enxergar-se culpada
Fazer-me ver egoísta
- Um fora de moral
Dominado pela malícia

Esperar o prometido
É amar um fantasma
Um devaneio, uma fantasia
Ó delineadora dos contornos
Dá-me a chance de dizer: quem diria?


02 novembro 2011

jaz(em)mim


Vou te dar um beijo e um cheiro


Com sabor de alfazema e noz-moscada. 

Colorir seu dia de azul-amarelo-verde

Fazer um carinho no seu cabelo.

Ajeitar o màriwo num cantinho

E ouvir você sonhar sem receio.


Enquanto passam tempos e ventos

Percebo-te - o eu-em-você por excelência

As velas o incenso e o jasmim completam e

Penetram-nos por inteiro

E sem dar conta das tuas contas castanho-claro abertas

Começamos a sorrir

Tendo paixão desejo amor e fé

Como o mais sofisticado dos recheios.