24 outubro 2010

P.a.s.s.e.i.

Passei por você diversas vezes
Passei de você para mim
Passei pelo sonho de ter
Passei inimaginavelmente sem pensar em fim
Passei...

Passei pela cor e pelos banhos
Passei pelos livros e os metais
Passei de mim para todos eles
Passei comedidamente pelo amor
Passei...

Passei, andei, corri...
Passei e quase verti minh'alma
Passei deixando o ontem numa gaveta
Passei, com tudo isso, em calma
Passei...

 [com algum susto]

Eu lhe alcancei!

22 outubro 2010

Hare Krishna

M.a.d.a.n.a M.o.h.a.n.a.


Guardei-me em terras distantes, num passeio justo e solo. 
Guardei-me de algumas angústias e outras felicidades. 
Guardei-me. 
Não se incomode, nem se inquiete... 
Não me julgue, nem declame outros poemas. 
Guardei-me nos domínios de Morpheus, 
embalado por Srimati Radharan,
e nos braços de Yemanjá. 
Guardei-me dos meus impulsos
e das lágrimas que, 
invertidamente,
rolavam olho a dentro.

21 outubro 2010

e.m. c.í.r.c.u.l.o.s.

        (ária ou mente) 

 tempo                             que 

    do                                                      fora

                     Casa                                                                     deixado              

   otrauq                                     ortned

                            on                      ocsurb                   

     (etnem an)




A essência do meu sentir faz-se na ausência, ou em seu máximo oposto. Canto, danço e declamo com sorrisos nas mãos e coração embebido de ti.

 Da pureza do um-a-um ao transparente estar-só, não há diferença na velocidade acelerada do sangue... Ou dos olhos que fecham-se solenemente quando os pelos se eriçam diante da epifania do Nós.

14 outubro 2010

12 outubro 2010

I.n.t.e.r.s.t.í.c.i.o.


Período de interstício criativo. Estou devorando o livro Fragmentos de Um Discurso Amoroso de Roland Barthes e vários livros de Fernando Pessoa que vieram especialmente de Portugal.

Um herói ferido precisa retirar-se da cena para que possa voltar a combater com palavras e versos.

Olorun Modupé, Olorun Didê.

Hare Krishna . Haribol

06 outubro 2010

E g o t r i p

Eu que caio
lembro-me
dali pode nada nascer

Eu que levanto
fico atento
o rabo-de-arraia vem de todos os lados
                                                                             [em tempos não tão diferentes]

Só não posso parar
- talvez um pouco.
                                                                [contrariando a Inércia]
Um pouco de ópio e sentido e desejo para continuar

Eu que sinto...
- Por favor, cale-se!
Os leões famintos e o Amor chegaram

Eu que calo e falo
que compreendo e aprendo
não descanso para esquecer...

05 outubro 2010

I n


Insônia
p  r  o   fusão de pensamentos

i n q u i e t a ç õ e s 
e tédio.

O corpo pede
                         a mente repele
                                                       descanso.

                Para comer
fazer xixi   ou nave 
                                     gar...

Ansiedade.


Insônia
proteção 
contra 
vulcões
que 
habitam 
o
escaninho 
                   do  cérebro.

03 outubro 2010

Fez-se o silêncio no caminho

e a Arte quis explodir em mim 

guardei o mais secreto num escaninho 

e de resto, gritei pro Sol... 

Vociferei contra a dor 

... Alimentei minh'alma da falta de ruído.

Ser pai de Ulisses

ser pai de quem me salvou o sorriso
 
É a certeza absoluta
 
de ser pai de meu futuro -
 
eu decido quando ser feliz...