14 maio 2017

Além da dança.

Te conheci ao te ouvir 
Te desejei na invasão da tua voz
O reconhecimento veio ao tempo da fala
E a vontade trouxe uma longa espera

São alguns dias, e outros anos
Já passamos por nós dois
Já vivemos aventuras devaneiantes - amores e flores
É-nos familiar o amor-fati e Eros e thanatos

Vejo-a nas danças de Giselle
Te imagino vestida de palavras
Faço coro com Albrecht - da Silésia - da cochia
Te leio em noites insones

O teu sorriso parece um convite
A tua elegância é uma inspiração
Identificado, fisgado, impulsionado
O ballet de imagens e a música que te apresenta 

Que as virgens mortas não te levem
Que o meu olhar não te interrompa
Que o meu túmulo esteja em tua voz
Para que nós renasçamos em todo enunciado