30 julho 2010

N.ã.o.

Onde é que o não engasga?
Fica preso e maltratando
feito uma espinha gigante
de um malfeito peixe-imaginário...

Por que não dizer o não?
Por que criar um câncer
uma neurose
Fazer um sintoma para se sentir melhor?

Que arcaicos grilhões prendem estas letras?
De que são feitos os elos desta corrente?
Tesa, tensa, cinza, agressiva, intrépida
e capaz de asfixiar sem o menor toque.

Dizer é mais que pronunciar...
amar é mais que dizer sim...
desejar é mais do que necessitar
o não é mais que uma negação...

O não que preciso dizer
ultrapassa as pregas da minha voz
é maior que o meu desejo
não cabe mais em meu corpo

É o que você precisa ouvir!

27 julho 2010

A.l.g.u.n.s d.i.a.s.

Tem dias que não me dá vontade de escrever... insisto, mas sou tão crítico que me inibo. Tem que fazer sentido, fazer-se ouvir, ao menos para mim. Minha complacência comigo é mínima, se não nula. Encaro bem a estiagem, fico pensando apenas que é muito gostoso escrever, mesmo que que sejam palavras ensanguentadas, surradas, por vezes mal-humoradas... Tem alguns dias que não escrevo. Pronto.

15 julho 2010

L.i.m.i.t.e.

Eu lhe dei o meu limite
você ultrapassou, brincou
quis testar...

Havia lhe dado todas as chances
você me olhou de longe
ensaiou sair, ficou
quis me experimentar...

Dei-te a chama da minha cama
deleitou-se, embeveceu-se
bebeu água e sorriu
vestiu a roupa
e tentou me por à prova.
Pedi que voltasse
foste fumar, deitou-se e dormiu
fazendo as vezes de um tolo.

Velei um pouco teu sono
e decidi!

Com algumas lágrimas me testei.

- Vá,
porque haverá
ao menos um outro!

Não esqueça de levar a luminária
há muito apagada.

********

"Fumar unzinho e ouvir Coltrane
Não faço mais isso mas entendo muito bem
(...)
E você diz daquele seu jeito:
- Ai, eu preciso de um homem! -
E eu digo: - Ah, Leila, eu também! -
E a gente ri"

13 julho 2010

I.n.i.e.s.t.a.


Final - e final de festa.
Gol. Não foi da Holanda,
Mas do talentoso Iniesta. 
Acabou a copa...
E lá vem ela pro Brasil -
Mas a quem interessa?


Arbitragens duvidosas
Tiraram o brilho da festa.
Atuações regulares.
Surpresas indigestas.
África do Sul - grande país,
Isso ninguém mais contesta.


Despeço-me do futebol -
ao menos pelo tempo que resta.
2014 está ali na esquina;
Espero que as ações sejam prestas.
'Panis et circense' novamente -
Mas nós só vemos por entre as frestas. 


12 julho 2010

F.i.m. .d.e. .C.o.p.a.

Depois da decepção de ver o Brasil ser eliminado, 


Segui torcendo pela Holanda - país pelo qual tenho enorme apreço e saudade de retornar. São familiares, amigos e amores que lá deixei, na breve estadia de um ano morando em Rotterdam. Circulando por todo o país: conhecendo, trabalhando e me divertindo.
Outra tristeza, talvez ainda maior, por se tratar da final. Nada tenho em particular contra a Espanha. Se fosse uma outra seleção o adversário, poderia ardentemente torcer e vibrar. Mas era a Holanda. A sensação que me toma, assalta, invade é a de luto duplo. 


Parabéns, Espanha. Campeã da Copa do Mundo de 2010. 
La Fúria!

Hasta 2014!


10 julho 2010

P.a.l.a.v.r.a.s.

Acordo de um cansaço e silêncio
deparo-me com palavras
quando percebo, o apartamento está cheio delas -
elas também bocejam e sentem frio...
espraiam-se.

Quase pedem,
se mais falassem, 
que eu as acolha e as aninhe em meu peito.

- Ora, sois dos ventos, do espaço aberto...
do imensurável intervalo entre boca e ouvido -
ou corpo, o corpo, o meu e o deles!

Faço carinho, cafuné, vejo-as sorrir.

- Vou preparar o café...
Ajudem-me a pensar 
cantar, gozar, meditar
agradecer e trabalhar na Segunda-feira.

Sento e aprecio a fumaça.
Sorrio e me deleito vendo-as
(di)vagar pelo apartamento:
surgem frases por todo canto,
nas paredes, porta-retratos,
poeirinha escondida atrás do sofá.

As palavras brincam
e as deixo me invadir
somente pela certeza
que elas ganharão o universo
com ou sem ouvintes,
deixando minha mente em êxtase.



06 julho 2010

F.i.l.h.o.t.i.n.h.o.

Nossa, que início de mês. Meu filho estava com broncopneumonia, já estava no fim do tratamento com os antibióticos, agora foi acometido por uma virose. Começo a sentir um desprezo, uma desconsideração alinhada com raiva contida de todos os pediatras pelos quais já passei com ele. Medicações que não resolvem o problema, avaliações superficiais (eu sei, não sou médico; mas sou psicólogo e fui treinado para perceber comportamentos). Eu trabalho num hospital do SUS (imaginaram?); não entra uma pessoa com qualquer suspeita de infecção, viral ou bacteriana, que não se faça um exame laboratorial - o mais simples que você possa imaginar. Levei-o nos melhores lugares de SSA e nem um hemograma! Eu não sei se é ansiedade de pai-de-primeira-viagem ou se tudo, tudo mesmo, deteriora-se a cada dia. Profissionais que não são preparados ou não fazem jus ao juramento que fizeram? Tive a má-sorte de encontrar todos os médicos em dias ruins? Não vou dar uma de persecutório! O fato é que ver meu filhote doente deixa-me completamente atordoado, adormecido, aborrecido, irritado. Impaciente com o tudo. Ainda por cima, tenho que dar conta da relação complicada que tenho com sua mãe.
Amigos, por favor, mandem boas vibrações. Os que não forem amigos, fiquem quietos, pois aqui não chegará nada de ruim, em nome de Olorum. Axé e Luz a todos. 

03 julho 2010

Özil

He is just my size! The most beutiful player in this championship!
Mesut Özil

C.h.u.v.a.

Uma molícia me invade hoje - deixa-me calmo e quente...o prazer do corpo inscrito na plenitude da mente. Deve ser este clima de inverno chuvoso, estranho companheiro dos meus dias. Ou seria consequência de uma noite entorpecida ou de um amor profundo, no abismo que é meu sentir? Eu sorri para cara marota da incompletude... Que poderosa muralha pode tornar-se  um corpo, mas com a mesma força transmuta-se  num  'Veludo de Lyon', que aquece e embeleza. Que doce a mistura de languidez com voluptuosidade ... de todas as promessas feitas em nome do amor e seu antídoto - atiça em mim a louca vontade de ler Fernando Pessoa enquanto gozo.