25 novembro 2014

Cores

Fui invadido por uma saudade 
Não era de gente
Tampouco era de um lugar 
ou uma situação específica ... 
Era saudade de algo colorido!
Uma sensação de arco-íris 
Um segundo de Renoir 
Um instante de Gaudí 
Um vida numa aquarela de vívidas cores!
Saudade de poemas coloridos...
Um coisa como o gradil do Bonfim cheio de cores agitadas pelo vento...
Ou livro de criança pequena e pequena. 
Uma paleta caledoscópica... sem ácido.
Por um instante eu tive a certeza, 
daí a saudade - penso,
Que meu corpo, ou meu espírito, fora, ou é, 
todo de todas as cores ao mesmo tempo...
Tudo isso entre o café com leite e uma torrada sem geléia - em sépia. 

13 novembro 2014

Almas

Permita sempre que sua alma voe 
Começando pelo seu quarto
Até que ganhe distâncias maiores
Deixe que voe e aproveite a vista 

Nesses passeios reconhecemos as coisas
Podemos vê-las de cima pra baixo e de trás pra frente 
Voe, divirta-se ou se entristeça 
Mas deixe sempre sua alma te guiar

Em cada saída uma coisa para mudar
Ou, então, algo para não se desfazer tão  prontamente
Só a alma pode olhar o que está por trás de uma fotografia
Enquanto estamos diante dela. 

Voe com sua alma sempre
Mas isso só vale em tempos de calma
Pois uma alma em cólera 
Voa às cegas e te despe de qualquer humanidade. 
Retira-lhe a sobriedade revirando seus olhos. 

Mas voe sempre com sua alma
Quando nada, será um mergulho 
Profundo o suficiente - sem traumas físicos. 
Não existe alma rasa. 

09 novembro 2014

Tarja preta

Quero dizer que parei
com os tarjas pretas
com os sorrisos amarelos
com a camisa aberta até o peito

Quero avisar que não dá mais
para dividir intimidade 
para morrer de ansiedade 
para assistir aos filmes mal acompanhada

Quero dizer que parei
de comer qualquer coisa
de comer qualquer um
de comer sem forme, mesmo com muita gula

Quero avisar que não dá mais 
pra ir para a academia pensando no outro 
pra ter fé sem me conhecer primeiro
pra amar sem ter uma música e alguns segredos

Quero dizer que parei 
de me obrigar às suas obrigações 
E que já não dá mais 
para sorrir e chorar pelas suas contradições 

Quero dizer que parei com os tarjas pretas.