24 novembro 2010

N.a.u.

Que minha alma-nau deslize pelas águas por vezes tranquilas de tuas palavras, 

que tenha a força e a segurança dos teus versos nas tormentas. Que minh'alma de 

poeta arredio permaneça nos braços do encanto, por todos os cantos e enquantos 

das sílabas presas à boca - pelo cansaço que só um grande amor proporciona. 

Que minha alma, este veleiro sem velas, tenha todo o seu oceano como 

atracadouro e apenas palavras flautadas como porto.

19 novembro 2010

Deixe-me!

Mais que a fé

o Amor é faca amolada

- canavial e foice!

Mais que a escravidão da alma

o Amor  tem o vício de fazer senhores

- é prisão e peão!

Mais que do que um coração

o Amor são os excrementos do corpo

-  é choro e pele seca.

Mais que um verbete

o Amor é um imperativo

um gozo

algo que, em última instância,

parece-me estar morto.

18 novembro 2010

15 novembro 2010

Eledá

Não sou o  Ọba  de Ketu

No entanto empunho algumas lanças


Acariciadas por todas as folhas


Que alcançam o brilho do céu mais alto


E numa curva perigosa e suave


Trazem-me uma liberdade e toda fartura.




Não sou rei, nem bravo Guerreiro


No entanto tenho espadas, coroa de mariwo ...  e setas


Tanto na imensidão do intangível


Quanto no caminho que se abre em vastidão


Carrego a coragem de seguir solitário


Como um andarilho viril ou um belo caçador!

07 novembro 2010

s.o.r.t.e.

um pedaço de mim
um presente para o mundo
uma pergunta para ti
tudo isso em poucos minutos

um pouco de choro
todo seu encanto de alegria
uma espada sendo forjada
por vários artífices... 
que dele aprenderam o dom -
num ciclo infindo de pulsões
de vida e de morte

um pedaço de mim
que fechou um inverno
que chegou num botão de lírio
com o sol presente em parte de tudo

a flor que chegou
mais que depressa laçou-me
um pai de um filho de um pai
que dele é mais que tutor...
tão ingênuo quanto o verde aprendiz
sou feliz por poder contemplar,
de tão perto, a vida recriando-se.

05 novembro 2010

r.i.o.

Light my fire
deixa de ser uma música

Je t'aime moi non plus
é só uma figura de retória

Nobreza
não passa um título falido

Only time
marcou apenas o meu tempo

Do not stop the music
the concert will go on

Enquanto o rio passa
procuro um taxi para minha vida!

02 novembro 2010

A. r.u.a.

De que ninho falas
De onde vieram
estes gravetos e penas quentes
se já não somos mais passarinhos?

Se a terra nos fez gente!

Por que insistes em cercar
essa casa, retocar a pintura...
uma casa sem lareira ou meias,
se há tempos não mais moramos?

O rua foi o tempo!

Voamos
ou pegamos o primeiro cometa?
Não sei o que de fato aconteceu
quando as mãos os nós soltaram...

Eu...
Costumava falar no plural...