19 dezembro 2016

Esperando o meteoro,

O pouso dos ETs, 

O bico do corvo...

A vida em degradê.

Sem tanto abalo.

Sem saudade.

Sem os mesmos clichês. 

Esperando do céu 

O agourento e o redentor.

Para findar o amor,

a casa de vontades e 

A incerteza fria da colisão, 

Nessa vida de imitação.

Sem ser cadente.

Sendo ardente

Que extirpe alma démodé.