18 abril 2012

vago

escrever o quê?
o que vocês comem sem razão
sem perceber que sai de um pulmão deteriorado
de um rim amaldiçoado, de um sonho louco?
escrever....

vocês já me conhecem
sabem da minha leve depressão mal curada
da minha angustia por viver neste corpo.
escrever o que já repito sem coração
o que berro pelos cantos sujos de minha mão?

não vejo título nem tema
veias, tendões ou mesmo músculos
que possam segurar um pincel
para letras mortas e mortais
que valham sujar a inocência da folha em branco.
ah, escrever...


declarar a minha falta de tesouros 
a invídia de minha sombra e do meu reflexo
a todo tempo querendo ser eu
e eu correndo 
correndo
por vezes morrendo
mas correndo
para não deixar de ser quem, agora, não tem o que dizer.

preocupado em ser
o que já cansou de falar
mas precisa apreender.

01 abril 2012