25 setembro 2010

              Em
                       ca s a
                                  em
                        e  s       p        e r     a
       reco
      lhim
      ento
                    e
           placi
                   dez
                           uma corrida
                         .
                       .
                    .
  endor
            fina
                  adoça 
                   e a
        calma!

22 setembro 2010

Q.u.o.d.o.r.e.

Eu pensei em árvores
na altura que elas me dariam
na sombra posta
e nas raízes profundas
                      Impostas

Eu criei verdades solventes
que correriam nas seivas
subindo às copas
num jogo de cartas
sem valetes ou damas 
                      Sem quodore

Seus olhos de mato verde
pegando fogo pelo caminho
- a procrastinação do destino
que no aveludado sonho
nos fez crer

Eu pensei em árvores
entrei pela janela 
do não-dito ... Do espírito
sendo visto por teus olhos
para além da mata
                      Dos olhos!

16 setembro 2010

c.a.s.t.e.l.o. d.e. a.r.e.i.a.

uma porta
- assemelhava-se ao portal de Hades
eram olhos, bocas e sangue
grito contido, dor lascada
todos viam ou forjavam um semblante
- um corredor empestado e 
repleto de impedimentos subjetivos
tem perna, mão, cadeira
copo com água e gaze no chão

uma porta
- onde se aprende a morrer
era queda, descida e coma
humor no abismo e a sina de Prometeu
- o Homem que pende para o nada
horror, soro, acesso (encontre logo)
o cuidador que se morre e mata
uma moléstia, silenciosa, dissimulada... disseminada

não atravesse
é uma porta
não é aviso ou epitáfio
não é descrença, mas a cor do descaso
em números estampados
nas portas

05 setembro 2010

Uli

- Como é que papai te chama?

- Filhote!

- E mamãe?

- Pacote!

- E seu nome?

- "Ulishes. Uli Pago"

02 setembro 2010

Sentidos do mal-dizer

fico mudo
frente ao assombro
e da ousadia da maldade
diferente da crueldade patológica.

tampo os ouvidos
a cada insensatez vertida
a maledicência cantada
mas meus dedos não são de algodão

ainda que não visse
presumiria...
sem paranóias
 e só o fechamento da gestalt

o que é ruim também tem gosto
deixa uma indignação em azia
um mal-estar-louco
o bem, bem pouco

posso alucinar
até mesmo delirar
só não tenho mais idade
para à ingenuidade me fingir dar.