29 maio 2010

C.a.n.s.e.i.

Cansaria.

Mesmo que te amasse

Que te enlaçasse com meus poemas

Ou te cansasse com minha dor

Eu também me cansaria.

Seus olhos são muitos

Seus braços fortes demais

Sua vontade de mim,

Como sua denegação

Colocam-me no vácuo

No não-lugar

No eterno devir

Seu desejo intenso

Dura menos que o queimar 

Purificador de um incenso

Infelizmente há tempos não tenho tempo.

Cansei

E, perdoe a prepotência,

Você também cansará.




"O fato é que a gente perdeu toda aquela magia
A porta dos meus quinze anos não tem mais segredo
E velha, tão velha ficou nossa fotografia"
Oswaldo Montenegro e Mongol

Nenhum comentário: