19 abril 2011

CINEMA AJUDA PROFISSIONAIS DO HGRS A COMUNICAR DIAGNÓSTICOS

SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL


23 de abril de 2010

CINEMA AJUDA PROFISSIONAIS DO HGRS A COMUNICAR DIAGNÓSTICOS

O médico comunica ao paciente um diagnóstico de doença terminal, advertindo-o de que lhe restam apenas seis meses de vida. Alheio a uma realidade que não quer aceitar, o paciente apenas pede ao médico que se afaste da frente da televisão. A reação inesperada, de descaso do paciente com o diagnóstico recebido, deixa o médico sem saber o que fazer. A cena é parte de um filme, mas acontece muitas vezes na vida real, e todo profissional de saúde deve se preparar para enfrentar essas situações.

Por essa razão, "Comunicação de Diagnóstico" foi o tema escolhido para a sessão do Cine-Debate, projeto de iniciativa do Serviço de Psicologia do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), ocorrida ontem (22). Foram exibidos trechos dos filmes "Antes de partir", "O óleo de Lorenzo", "Um ato de coragem" e "Alguém tem que ceder", e profissionais e residentes de várias categorias lotaram o Auditório para compartilhar suas experiências e discutir o teor das cenas visualizadas. O projeto, existente há cerca de dois anos, teve as exibições retomadas.

Comunicar um diagnóstico é uma ação delicada que, em princípio, é de competência do profissional médico, mas acaba envolvendo vários outros profissionais. "Trabalhamos, aqui no HGRS, de forma multiprofissional. Todos da equipe, em algum momento, vão se deparar com um determinado paciente e seus familiares e com a repercussão que a comunicação do diagnóstico lhes causou, desde o enfrentamento e a negação da doença até a adesão ao tratamento", diz o psicólogo Décio Plácido Neto, que conduziu os debates. À frente do projeto também estão Maria Alice Leal, Carla Fernandes, Ana Cláudia Paim e Bethânia Neme. 

Como ressalta o psicólogo, no Hospital Roberto Santos o paciente é sempre visto e atendido por profissionais de diversas categorias, além de médicos. São enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, odontólogos, fonoaudiólogos, nutricionistas. "Discutimos, após a exibição dos trechos dos filmes, como a comunicação do diagnóstico pode ser decisiva no desenrolar da vida dos pacientes e de seus familiares. Daí a preocupação com a escolha e a entonação das palavras, a implicação pessoal, o local, a disponibilidade do profissional para tirar dúvidas e estar acessível a futuros questionamentos", afirmou Décio.

B.F. - DRT/Ba 1158
Ascom HGRS
23/abril/2010

Nenhum comentário: