27 fevereiro 2011

e.w.é.

Depois de uma profusão de poesias que nada diziam, que só tinham como destino

despir-me, fez-se silêncio em meu coração, acalmou... serenou a angústia por

querer - o não-sei-quê que viria de um não-sei-quem. anestesiei. dàgìrì dobo.

acalmei meu ori - até então. quando não há lá fora, não há o que se perder aqui

dentro. tenho fome de mim: estou comendo as palavras que outrora me 

machucavam e agora afagam meus instintos. a jornada do retorno a realidade. 

axé. 


Nenhum comentário: