29 junho 2010

F.r.i.o.

Está escuro
 o dia, o branco, o verde.

Meus medos -
o vento assobia meus temores.

Vejo cada vez menos
e caminho tombando com meus feitos,
por mais pérvio que seja o caminho.

Estou de luto -
deixei que apagassem as luzes
deixei que quisessem
dessem ordem
- por não ter levantado a voz

Luto de mim.

Está escuro
a chuva bate na janela
com violência e acusações.

Durmo com  o frio
mesmo quando você vem me visitar -
penso no quanto ínvio
é este relacionamento.

Nenhum comentário: