25 novembro 2014

Cores

Fui invadido por uma saudade 
Não era de gente
Tampouco era de um lugar 
ou uma situação específica ... 
Era saudade de algo colorido!
Uma sensação de arco-íris 
Um segundo de Renoir 
Um instante de Gaudí 
Um vida numa aquarela de vívidas cores!
Saudade de poemas coloridos...
Um coisa como o gradil do Bonfim cheio de cores agitadas pelo vento...
Ou livro de criança pequena e pequena. 
Uma paleta caledoscópica... sem ácido.
Por um instante eu tive a certeza, 
daí a saudade - penso,
Que meu corpo, ou meu espírito, fora, ou é, 
todo de todas as cores ao mesmo tempo...
Tudo isso entre o café com leite e uma torrada sem geléia - em sépia. 

Nenhum comentário: