13 novembro 2014

Almas

Permita sempre que sua alma voe 
Começando pelo seu quarto
Até que ganhe distâncias maiores
Deixe que voe e aproveite a vista 

Nesses passeios reconhecemos as coisas
Podemos vê-las de cima pra baixo e de trás pra frente 
Voe, divirta-se ou se entristeça 
Mas deixe sempre sua alma te guiar

Em cada saída uma coisa para mudar
Ou, então, algo para não se desfazer tão  prontamente
Só a alma pode olhar o que está por trás de uma fotografia
Enquanto estamos diante dela. 

Voe com sua alma sempre
Mas isso só vale em tempos de calma
Pois uma alma em cólera 
Voa às cegas e te despe de qualquer humanidade. 
Retira-lhe a sobriedade revirando seus olhos. 

Mas voe sempre com sua alma
Quando nada, será um mergulho 
Profundo o suficiente - sem traumas físicos. 
Não existe alma rasa. 

Nenhum comentário: