21 junho 2012

senhor dos caminhos

Eu, grande guerreiro
de pena e cuia 
de estrada e mata fechada 
sob raios e sobre lodaçais
vem do infinito 
o cintilar da minha espada.


Vem em tons de azul
vem de forma quente 
com força hercúlea e delicadeza
põe tudo sobre a mesa 
agita meu coração para que
no meu espírito a preguiça não esteja.


Vem dançando
ao som do meu cantar
vem cantando 
para me fazer inteiro 
quando danço no universo
com os pés em seu terreiro.


Vem! Entregue-me a espada
recolha-me ao seu desejo
tira-me do medo
tira-me dos anseios
para que eu comece a guerrear
no certo Caminho que, 
tendo sempre Sol e Chuva
Brisa e Frutas,
já comecei a desbravar!

Nenhum comentário: