03 maio 2011

t.r.i.s.t.e.z.a.

Tristeza é um oco!
Um furo sem semblante, sem capa
Um lamento jussivo...
É o sentimento que os poetas espantam
                                                          [ao tempo que se alimentam]

É quando falta Chico e Ben Jor
Quando Alcione se cala e Ro Ro desce do palco
Quando não encontro Gil e Caetano enlouquece...
Ou quando um avião parte, sem saber se volta.


É...
"Daniel is travelling tonight on a plane"
Levando consigo amarguras e meus trinta anos
A tristeza é o oco...  A falta d'água
Com a falta de sede - desejo em negativo.
  
"Corre, corre lágrima!
Alcança o aeroporto..."
Isto é tristeza - vazio sem culpa ou ou necessidade de perdão
Ela é um deusa de aço e espinhos - com braços ternos
Que algumas vezes esvaece, outras fortalece.

A tristeza é o oco, o vazio dilacerante
Que a mim pertence e só eu vejo
Por mais que eu grite...


Nenhum comentário: