22 outubro 2010

M.a.d.a.n.a M.o.h.a.n.a.


Guardei-me em terras distantes, num passeio justo e solo. 
Guardei-me de algumas angústias e outras felicidades. 
Guardei-me. 
Não se incomode, nem se inquiete... 
Não me julgue, nem declame outros poemas. 
Guardei-me nos domínios de Morpheus, 
embalado por Srimati Radharan,
e nos braços de Yemanjá. 
Guardei-me dos meus impulsos
e das lágrimas que, 
invertidamente,
rolavam olho a dentro.

Nenhum comentário: