21 outubro 2010

A essência do meu sentir faz-se na ausência, ou em seu máximo oposto. Canto, danço e declamo com sorrisos nas mãos e coração embebido de ti.

 Da pureza do um-a-um ao transparente estar-só, não há diferença na velocidade acelerada do sangue... Ou dos olhos que fecham-se solenemente quando os pelos se eriçam diante da epifania do Nós.

Nenhum comentário: