22 julho 2009

Sem outras palavras...


- olhe a cara dela!
veja o contraditório em suas janelas
tão sem ritmo e tão falsa amarela
veja o jeito frio como vela
cada espreita em cada movimento se desvela
que jeito!
impiedosa, zen-graça, tagarela
rapidamente desmantela
desrespeito ... na própria lama se mela
eu, vã, fui sentinela
e vi palavras enforcadas nas aquarelas
pintadas habilmente sobre a tela
olhe...
não há amor no drama que estrela,
assim como não tem cadência,
nem espírito ou competência
para ser obra-prima ou fancy book
para este desgosto em forma de poema

Nenhum comentário: