25 maio 2015

Alegrias

Estou repleto de desejos e razões 
Fotografias e relíquias sonoras
Um cemitério de interesses caducos.
Talvez eu deva morrer para, de novo, nascer 
Talvez eu deva dormir e não sonhar. 
O que preciso é ver! 
[Para de-novo ser agora 
Para de-novo chorar e abrir os olhos
Para tocar tudo que brilha...]
E ter novas medidas e dúvidas 
Novos votos, novas juras 
Novas tristezas felizes e arrebatadoras alegrias 
E, outra vez, ir me enchendo de vida. 
Vendo a vida aparecer
Doando vida para ser ... inteiro. 

Nenhum comentário: