13 agosto 2013

No tempo em que os olhos seduziam

No tempo em que os olhos seduziam
Eles nao precisavam ter cor
Nao era necessário ter um jeito
E todo infortúnio interno fora desfeito.
No tempo em que os olhos seduziam
Havia mais pelos e mais pele
Mais trejeito, confusão - Gita e Memória
Violão de roda e rodas feito fumaça em calmaria
Quando os olhos seduziam
Eternizar era tão desesperador quanto mudar
Como dizer eu te amo
Para, n'outro olhar, deixar de amar - doce ventania
Quando os olhos seduziam
O corpo, salvo a língua, de nada valia
O falo estava no centro da testa
Como o terceiro que ninguém vê
No tempo em que os olhos seduziam
Poucos sabiam ler
Poucos se livravam do prazer - outrora maestria;
E eles já não sabiam ser ou ter - coisas de iludir
No tempo em que os olhos seduziam
Não se usavam palavras ou poemas
A linguagem era para se viver
E os sonhos de cama ou de rua para se refazer

Nenhum comentário: