29 maio 2013

grande amor

O que resta do grande amor?
O que sobra?
O que permanece é grande!
É forte e neurótico ou
Gordinha e linda.
Verde ou azul turquesa
Ou muito baixinho, mas
Usa a escada como nenhum outro.
É o amor que nos demos!
O que corporificado
E inutilmente excede é o "grande".
Ele carece ser imenso
Por nos sentirmos pequenos
o outro precisar ser uma espécie de herói -
a falta é obrigada a faltar...
Ou só porque precisamos enaltecer,
Com todas as delongas e milongas,
O ordinário humano.
Os adjetivos são armadilhas
E a certeza trairá.
Meus pares!
Amem como se fossem oceanos
Preocupem-se e se dêem nomes
Como se fossem a menor das ilhas.
E por assim falar,
Que ilha é menor que os sete mares?

Nenhum comentário: