02 fevereiro 2012

mourn

- Onde está Pedro?

- Não entendi!

- Costumávamos nadar juntos.
Ele ainda era um molecote...

- Então ainda não sabes? 

- Não. Não está fora estudando?

- Sim, esteve por dois brevíssimos anos...
E voltou como um vento forte
repleto de emoções descontínuas.
Voltou como as presas de uma leoa
atacando para defender...
Lutou!

- Não, por favor, mulher...

- Dele, agora, tenho apenas nemórias 
estampadas em papéis...

- Ele era...

- Sabemos tudo o que ele era...
Tenho que descansar. 
Pode dormir no quarto dele!

- Que visita estranha é a morte...


Nenhum comentário: