04 fevereiro 2009

amaromar

amar
desobrigação do escravo,
cura do drogadicto,
morte dos incautos,
repelente nas noites quentes.
do verão, álibi
do inverno, cúmplice.
da morte, espelho e
da vida, coisa pouca!
- interrogação de nobres literatos (não por acaso)
amar,
no mar
o mar e
a maré
saudar
amar a mim
a você
a ninguém
só amar e
be loved in return
se houver luz
( e quem a desligue e ligue)
amar
sempre,
sem presente
ou vida prévia
com morte iminente
sempre lá
sempre ausente.
amar,
até o mar!,
que como eu,
voltar-se-á para dentro
nas entranhas
da terra
do corpo molhado
do copo quebrado
do gozo calado,
e, novamente,
tornar-se-á mar
maré
doce
e
quente!
como uma prainha que costumava frequentar!

Nenhum comentário: