16 setembro 2010

c.a.s.t.e.l.o. d.e. a.r.e.i.a.

uma porta
- assemelhava-se ao portal de Hades
eram olhos, bocas e sangue
grito contido, dor lascada
todos viam ou forjavam um semblante
- um corredor empestado e 
repleto de impedimentos subjetivos
tem perna, mão, cadeira
copo com água e gaze no chão

uma porta
- onde se aprende a morrer
era queda, descida e coma
humor no abismo e a sina de Prometeu
- o Homem que pende para o nada
horror, soro, acesso (encontre logo)
o cuidador que se morre e mata
uma moléstia, silenciosa, dissimulada... disseminada

não atravesse
é uma porta
não é aviso ou epitáfio
não é descrença, mas a cor do descaso
em números estampados
nas portas

Nenhum comentário: